Adoração e Louvor

Porque, assim como a chuva e a neve descem dos céus e para lá não tornam, mas regam a terra, e a fazem produzir e brotar, para que dê semente ao semeador, e pão ao que come, assim será a palavra que sair da minha boca: ela não voltará para mim vazia, antes fará o que me apraz, e prosperará naquilo para que a enviei. Isaías 55:10-11

O Que é Louvor

A palavra louvor, na língua portuguesa, significa: “ato de louvar, aplauso, elogio, encômio. Apologia de uma obra meritória”. Tem como antônimo “censura e crítica”. Sendo assim podemos concluir que o louvor pode ser dirigido a pessoas, instituições, ideologias, objetos, lugares, animais, e outras coisas, através de elogios, aplausos, cânticos, falas poéticas, apologéticas, informais, etc. Por exemplo, quando cantamos o Hino Nacional Brasileiro, estamos louvando o Brasil.

Portanto louvar significa “admirar, falar bem, elogiar, engrandecer”. Diariamente, estamos louvando muitas coisas ao nosso redor. Quando louvamos a Deus, estamos admirando os atributos do Seu caráter: fidelidade, bondade, amor, longanimidade, retidão, justiça, misericórdia, etc. Usamos as expressões dos nossos anseios para fazer isto. Qualquer pessoa pode fazer isto. A natureza, por exemplo, também pode louvar a Deus (Salmos 19:1). Louvor é algo que qualquer um pode dar a qualquer coisa ou pessoa (Salmos 9:11; 33:2; 67:3; 42:12).

O Que é Adoração

O vocábulo adoração, deriva da palavra em latim adorare, que etimologicamente vem a ser “falar com“. O dicionário da língua portuguesa define seu significado como: ato de adorar; culto a Deus; amor profundo. É render culto a Deus, coisas ou pessoas considerados como sendo santos. É prostrar-se diante de algo em sinal de reconhecimento, rezar, idolatrar, amar apaixonadamente.

Adoração e Louvor estão relacionados diretamente ao Tabernáculo. Neste vídeo produzido em 1920, um protótipo do Tabernáculo de Moisés podemos visualizar e entender melhor a disposição dos elementos do Santuário.

Cantai-lhe um cântico novo; tocai bem e com júbilo.Salmo 33:3

Que farei, pois? Orarei com o espírito, mas também orarei com o entendimento; cantarei com o espírito, mas também cantarei com o entendimento. De outra maneira, se tu bendisseres com o espírito, como dirá o que ocupa o lugar de indouto, o Amém, sobre a tua ação de graças, visto que não sabe o que dizes? I Coríntios 14:15-16

Levando em consideração que o louvor pode existir nas formas direta e indireta, em tudo o que fazemos, deve caber o louvor a Deus, ainda que indireto. Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus.” I Coríntios 10:31

Lembramo-nos do sentido da palavra adoração, devemos “prestar culto” isto se faz somente a Deus. Há músicas que, embora louvem a Deus, não servem para a adoração a Deus, por serem louvores indiretos ao Criador. Embora existam músicas e canções sadias, não são recomendadas para serem usadas no culto de adoração. A música ou canção pode até mencionar o nome de Deus, mas não é uma música genuína de culto. São músicas que, embora O louvem, não O adoram.

Recomendação:

Ao submetermos um cântico dentro do recinto sagrado (cantado ou tocado), devemos nos lembrar principalmente do zêlo (arte e júbilo), colocando-nos como profissionais da adoração ao Criador. Se a música não puder conduzir os adoradores à veneração ao sagrado, provavelmente não será apropriada para o culto de adoração e louvor ao Deus Criador. Mas isto não quer dizer que aquela música é pecaminosa.

Em toda adoração deve haver louvor, mas nem sempre há adoração em todo louvor.

A música não é nem foi o principal fundamento e ordem que Jesus deixou aos seus discípulos (Ide e pregai o Evangelho a todas as nações…), mas será a única herança que nós levaremos desta terra para a eternidade.